quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Ilusão Irracional





Sinto-me enlaçado, na discrepante louca emoção,
Divago espreitar na janela ou entrar pela porta,
Experimento na alma alterações de quem corta,
Sentimento criado sem vontade de sair da ilusão.

É terça, mas poderia ser quarta para no momento,
Rever desejo certo da presente e sôfrega ambição,
No elevado ardor que me consome a forte paixão,
Nem sonhos ou ilusões pode acabar meu tormento.

Mas eu sempre fui assim, um boémio sonhador,
Agora e doravante com cunhos de emocionado,
Com vida em letargia por estas coisas de amor,

Fico para além da dor, quando contigo a meu lado,
Dos teus lábios de mel, permanece o sensual sabor,
Num absoluto êxtase de irracional apaixonado.

O meu mundo é pitoresco, porque o matizo em peculiares cores.

02/12/2009
Karl d’Jo Menestrel

2 comentários:

paula barros disse...

Ao poeta tudo!

Colorir os sonhos, enfeitar as ilusões, viver em pensamento.

Ao poeta o direito de sonhar e fazer sonhar.

Ao poeta o poder de transformar a vida em poesia. E nos presentear poesia para transformar os dias.

Assim, tem feito você, nos enlaçando em belas poesias.

abraços com carinho

Nanda Assis disse...

nossa, vou sair daqui com tesão.

bjosss...