terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Etéreo movimento.



Vou levar-te comigo, por sonhos e prados
Em loucura, desalinho, na sublime paixão
Me mostro, te mostras numa altiva alusão
Criando quimeras que não somos culpados

Iremos num caminho, com sublime movimento
Em liberdade incontida, instruímos proclamação
Nossas grilhetas se soltam de pesada expiação
Em rebelde volúpia, criamos arrebatamento

Num Pégaso qual alado, iremos sóis percorrer
Entre tântricas evoluções, criaremos devaneio
Nas sensações incontidas veremos o entardecer

Para insólita cavalgada em perfeito manuseio
Na serva liberdade o trovador leva um querer
Tendo alforria arrolada e insensata no anseio


01/12/2009
Karl d’Jo Menestrel

5 comentários:

Nanda Assis disse...

achei bonito apesar das palavras dificeis, q eu n acho q encantam e sim deixam bem melancolico e da preguiça de ler. mas gostei.

bjosss...

paula barros disse...

Só a liberdade da mente é capaz de nos soltar de nós mesmo.

E de nos fazer voar, por lugares nunca antes pensado, nem imaginado.

O voo da mente livre.

abraços com carinho e admiração.

Vivian disse...

...bom dia, meu lindo poeta!

amei isso:

"Vou levar-te comigo, por sonhos
e prados
Em loucura, desalinho, na sublime paixão
Me mostro, te mostras numa altiva alusão
Criando quimeras de não somos culpados"


smacksssssssss

Dilma Damasceno disse...

Caro Amigo Menestrel...

Aqui, a inspiração anda solta e galopante!

Tem sido bom acompanhar suas variadas postagens...
assim, posso registrar
que estou admirando imensamente,
o conjunto!

Avante!

Fraternalmente, Dilma

Fragmentos de Elliana Alves disse...

Adorei seu erotico
gostoso e intenso
bjssssssssss e boa noite
fã rsrsss...