segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Saber ver…



Pintura a óleo por Francisco Charneca – Reflexo de um olhar

Sem nada para dizer, sem nada procurar
Um pouco ou nada sei escrever
Do muito ou pouco, um desdizer
Não atino em verbos de algo para alunar

Nada ajuda pensar, delinear nem Morfeu
Quiçá em razão me venha arrepender,
De em reflexão colocar pena a correr,
Em opinião habilidade falhada de Orfeu

Tu me pintas, rabiscas com palavras de enlevo
Incitas, recortas, cortas com elevada paixão
E sonho, disfarço, devaneio, em loucura me atrevo

No afecto, despertas encantamento, fascinação.
Demando nova fantasia em cinco folhas de trevo,
Encontro num contar, animar… elevada doação.

Em hipnose mutação, me regenero, encontro novo saber e sabores… vivo.

30/11/2009
Karl d’Jo Menestrel

1 comentários:

paula barros disse...

Nossa!!!

Não sei por onde começo. Quadro, poema, frase poética e reflexiva

"Em hipnose mutação, me regenero, encontro novo saber e sabores… vivo."

Esse sentir-se vivo,assim feito diz a frase, é muito vibrante. Que combina com as cores da tela. Desse "reflexo de um olhar", de um olhar que ver e escuta a alma. E anda junto com a emoção.

Belíssimo!!!


(ainda bem que não operei o coração rsrs ufa!!!)