quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Meninos Netos





Ai… Que saudades eu tenho
Ao verte brincar assim

Brincando com carrinhos
Comendo bola de Berlim
Fazendo da perna Cavalo
E da coxa puro selim

Ai… Que saudades eu tenho
Do tempo que brincava assim




Um sapato para ali
Uma meia prá co lá
Uma bola multicor
Saltando de lá pra cá

Ai… Que saudades eu tenho
Ao verte brincar assim

Tu corres… tu saltas
Tens o mundo na mão,
Nada te faz parar
Que linda essa ilusão
E forma no mundo estar

Ai… Que saudades eu tenho
Do tempo que brincava assim

Tua cara de menino
Mostra meiguice e ternura
Teu olhar é claridade
Teu sorriso satisfação
Me sinto recompensado
Te trago no Coração

Ai… Que saudades eu tenho
Ao verte brincar assim

19/11/2009
Karl d’Jo Menestrel

1 comentários:

paula barros disse...

Saudade que dá dessas brincadeiras, da inocência, da ilusão que fazía do mundo.

A imagem com o poema está uma junção belíssima, do mundo infantil, e do adulto que recorda.

E do leitor que aprecia e se vê.

beijos