quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Apontamento.




Deambulando ao sabor do vento

Descubro as sensações que cedes
Como rabiscos em pura tela
Tento entender tudo o que dás
Desatino num desvario que apraz
Abriste, me convidas para janela
No envolvimento tu me recebes

Desenraízo causa no inalcançável
Me colapso nos sentidos da razão
Neste destempero encontro sensação
De doce desatino, no imaginável

Pintas as telas em cor quente
Tudo tintureiras em teu redor
Utilizas palete de tintas fortes
Saracoteias em tuas emoções
Utilizas, os sonhos, as ilusões

Tiro apontamento em meu requebro
Do imaginário das minhas fantasias
O vento, o mar, a luz me chama
Levo-me em caminhos e veredas
Subo colinas, palmilho vales
Sinto que o vento afaga a face
Me alucino, pensando em sopros teus

21/01/2010
Karl d’Jo Menestrel - Ilusões

2 comentários:

paula barros disse...

Valha-me Deus!!!!!!

"Saracoteias em tuas emoções
Utilizas, os sonhos, as ilusões"

Eita, essa bateu forte.

abraços

paula barros disse...

"Desenraízo causa no inalcançável"

Sempre que leio, e já foram várias as vezes, fico imaginando a profundidade dessa frase.

Seu poema todo tem várias frases que dizem muito.

abraço fraterno.